Programa de Línguas Estrangeiras Modernas

Inglês

Por intermédio do projeto de extensão PROLEM, a UFF oferece curso regular de Inglês para adultos, aulas de Conversação e Inglês Instrumental à comunidade. O curso regular pretende desenvolver as habilidades de compreensão e produção de textos orais e escritos. São oferecidos do nível Iniciante (A0 do Quadro Comum Europeu) ao Proficiente (C1 do Quadro Comum Europeu). O curso de Inglês Instrumental busca odesenvolvimento de estratégias de leitura e compreensão de textos e não exige conhecimento prévio de língua.O curso de Conversação se dirige aos alunos com nível avançado de conhecimento da língua inglesa – ideal para aqueles que desejam manter o contato com o idioma, garantindo assim sua desenvoltura nas habilidades orais.
O caráter institucional do PROLEM e sua integração com as demais instâncias e Programas da UFF abrem as portas para o vanguardismo. É dentro desse espírito de inovação e colaboração, norteados pela busca constante da qualidade, que o Inglês do PROLEM vem se respaldar em valores humanísticos para ofertar experiências de aprendizagem à comunidade extramuros e, ao mesmo tempo, contribuir para a área de Formação de Professores. Atualmente, os professores de inglês do PROLEM passam por processos seletivos integrados aos demais Programas de Ensino de Inglês da UFF, o que garante ampla oportunidade de participação e, sobretudo, excelência, de seus quadros. As ações pedagógicas cotidianas dos professores de Inglês do PROLEM são supervisionadas por docentes do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFF, Doutores com trabalhos na área de Ensino e Aprendizagem de Línguas e de Formação de Professores.
É justamente esse viés acadêmico que nos permite permear a abordagem de ensino adotada com a compreensão de que o ensino de uma língua estrangeira hegemônica, como é o caso do Inglês, não pode vir dissociado de uma visão crítica. Entendemos que a posição atual do Inglês de Língua Franca no mundo (a maior parte dos falantes do idioma no mundo não são falantes nativos) nos conduz à valorização da diversidade linguística e ao multiculturalismo, segundo o qual compreende-se o valor de cada cultura, inclusive as locais. Rejeitamos, assim, a supervalorização do falante nativo e, junto com ela, o mito do alcance da proficiência nativa.

 

Mais do que se comunicar em língua inglesa, esperamos que nossos alunos alarguem seus horizontes e possam ver o mundo e a si mesmos com novas lentes e que se apropriem da língua inglesa para seu crescimento pessoal, socialização e exercício de sua cidadania.